terça-feira, 22 de julho de 2014

O lado bom da Vida - Mathew Quick #EuSouDoideira




Meu interesse por esse livro surgiu assim que descobri que o protagonista foi diagnosticado como portador de transtorno bipolar. A temática acerca de doenças mentais me interessa desde que me entendo por gente. Sou obcecada por adentrar mentes humanas, e mentes  "perturbadas" me parecem ainda mais interessantes. 

O protagonista chama-se Pat Peoples. Ele é um ex-professor que acaba de sair de uma clínica psiquiátrica. De acordo com sua memória, ele passou apenas alguns meses e o motivo, ele ainda não sabe. A única informação que recebemos é que ele precisa ficar um tempo separado da esposa Nikki. 

O ponto que mais me impressionou foi que o narrador é o próprio Pat, então durante a leitura estamos por dentro do raciocínio dele. Em alguns momentos, percebemos uns lapsos, onde vimos que Pat ainda não está completamente bem. As informações que recebemos surgem a medida que o narrador também descobre. O que torna a relação do leitor com o Pat algo muito mais forte. 

Tiffany é a cunhada de um dos amigos de Pat e também tem um problema psiquiátrico, fato que aproxima os dois. A moça passa por uma perda muito impactante para ele que é a morte de seu marido e passa a ter uma obsessão sexual. Através da relação entre ela e Pat e seus ensaios de dança podemos ver o quanto cada um ajuda o outro. 

Os demais personagens também são bastante interessantes. O pai que também possui obsessão por um time de futebol, mas que me parece ter vergonha da condição do filho, mas que também possui algo de problemático. A mãe sempre tão acolhedora e carinhosa e que faz de tudo pelo filho que agora encontra-se doente. O irmão que também cuida de uma certa forma de Pat. Enfim, vemos uma família tendo julgamentos comuns, mas que nos mostram o quanto é acolhedora, apesar de estar vivendo a condição de Pat de uma forma muito conflituosa.

Um dos pontos altos para mim é a experiência de Pat com a Literatura. Ao sair do hospital, ele procura ler os livros que sua esposa que é professora de literatura indicava quando estavam juntos. Acompanhar a forma como ele percebe cada obra é muito interessante, pois ao passo que sua visão da realidade está distorcida, ele vê os livros como realidades ou como verdades profundas. A Literatura nesse caso não é mostrada como cura, mas como uma forma de refletir sobre a realidade. Cada pensamento que descobrimos de Pat faz com que nos apaixonemos mais.

Apesar de divertido, não posso dizer que O lado bom da vida é um livro excepcional. Sua linguagem é bastante comum e de leitura fácil, mas não posso dizer que ele seja arte. E isso é o que busco em textos literários. Mas é um ótimo livro para entretenimento.

A música que escolhi foi:

Balada do louco - Ney Matogrosso!


  

3 comentários:

Jônatas Amaral disse...

Olá!
Não resistir e vim ver sua resenha sobre este livro.
Sou um pouco suspeito para falar, pois este livro está inserido na minha lista de livros favoritos. Posso falar com o coração e com a razão.
Eu acho esse livro muito incrível, seja pela forma simples sem ser simplória de narrar o fato. Acho a trama bonita e melancólica ao mesmo tempo. Acho um livro que, pelo menos para mim, fez repensar algumas atitudes.
Vejo nesse uma arte, como você colocou, diferente. Ele não tem nada primoroso em termos esteticos de linguagem, mas possui uma arte de tocar o pensamento e de fazer rir e de fazer ficar raiva interessante.
Gostei muito de resenha, parabéns!!

Até mais!

Jônatas Amaral
alma-critica.blogspot.com.br

Gabi Oliveira disse...

Olá Lua! Também li esse livro durante a maratona e adorei! Acho que o fato da história ser narrada pelo próprio Pat é um ponto super positivo, pois assim nós podemos entender um pouquinho daquilo que se passa na mente de uma pessoa com transtornos. Amei o Pat, ele é um personagem muito divertido. A obra não se tornou uma das minhas favoritas, mas é realmente muito boa. Gostei da escrita do autor e pretendo ler outro livro dele. Beijos!

frases-perdidas.blogspot.com.br

NeyaRa disse...

To doida para ler esse livro, todo mundo falando super bem dele, tbm adoro livros com personagens com transtornos, quando o autor sabe fazer, a história fica bem interessante.
Adorei a resenha!
Beijo

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.

© 2011 Viagens Esquizofrênicas a Lua, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena