quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Entrevista com Vampiro - Anne Rice




Primeiramente quero pedir desculpas a vocês pela demora em publicar minhas impressões. Mas tenho um motivo: foi uma leitura bastante cansativa. Decepcionei-me muito com o livro. Quando o comprei, pensei que gostaria muito, já que amei o filme. Mas a realidade foi diferente...

A história é narrada por Louis em primeira pessoa, ou seja só conheceremos a versão dele para os fatos. Ele é transformado em vampiro por Lestat, praticamente o oposto de Louis, pois matar é a única diversão dele, segundo o narrador. Louis percebe sua vida imortal como uma maldição e passa muito tempo de sua vida sentindo-se culpado por desejar matar. Nós acompanhamos a vida dos dois até que conhecemos Cláudia, criança de 5 anos que é transformada também por Lestat e nos apresenta a maldade infantil.

A autora escreve bem. Minha tradução ajudou muito por ser da Clarice Lispector, quem eu admiro muito. A história foi bem elaborada. A vida imortal descrita como uma maldição pelos olhos de Louis é muito bem representada. 

Os personagens são bem construídos. Gosto de cada um de uma forma, pois eles apresentam diferentes facetas do mal. Essa discussão é encerrada quando Louis conversa sobre o tema com Armand, outro vampiro que conheceremos durante a trama.

A grande temática parece ser o conceito de mal e suas nuances e o desejo. Até onde o ser humano, aqui representado pelos vampiros, podem ir pelo desejo. E o Mal existe mesmo? Essas temáticas são tratadas de uma forma bem psicologizante. 

Agora, vocês estão se perguntando o porquê de eu não ter gostado. No início do livro, a narrativa é lenta e as crises de Louis me irritaram profundamente. Cláudia parecia ter saído de um filme de terror. Somente quando Louis conhece Armand comecei a gostar da história. Este personagem analisa junto com o protagonista as temáticas e o ajuda a agir. Louis ainda praticamente não agiu até conhecê-lo.

A leitura valeu a pena apenas por Armand. Sinceramente, achei o Louis uma prévia do Edward (desculpe-me os fãs de Crepúsculo). Terá sido uma overdose de vampiros? Quem sabe? Mas acho que não foi o momento. Talvez poderei dar uma segunda chance futuramente. Mas para quem gosta de vampiros, é uma boa indicação. 

6 comentários:

Luciana Pimenta disse...

Oie...
Tudo bom?
Poxa que pena você não ter gostado.... Mas o importante é que expôs sua opinião bem sincera... :D Parabéns pela resenha...

Adorei seu blog... Já estou seguindo...
Depois dá uma passadinha no meu cantinho para conhecer e se puder segui-lo ficarei muito grata...
Beijos
Relíquias da Lylu =D
http://reliquiasdalylu.blogspot.com.br

Cristina de Oliveira disse...

o Edward nem é vampiro direito é só uma coisa purpurinada rsrsrs

Luan Sampaio disse...

Oi Tudo bom ?
Gostei da Sua Opnião heuheuehue
Parabéns pela resenha
Hmm... Te coloquei numa tag lá no blog : http://umgrandevicioliterario.blogspot.com.br/2014/01/tag-arco-iris.html
Bjão & Sucesso com o blog :)

Samantha (Samgirl) disse...

Não costumo ler livros que eu já tenha visto o filme do mesmo, principalmente antigos.
Pois, assim como você, acabei me decepcionando, gostando mais do filme do que do livro.
Beijoss
Samantha Artes & Books

Isabelle disse...

Adorei o blog!
Seguindo, claro!
Beijos,
Isa
http://www.verbosdiversos.com/

Jéssica S. S. disse...

Lua, que pena que não gostou do livro. Eu quero muito lê-lo, pois igualmente amei o filme.
Beijo,
Jéssica, d´O Feminino dos Livros.

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.

© 2011 Viagens Esquizofrênicas a Lua, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena